O Natal na Alemanha

 O Natal na Alemanha é cheio de tradições antigas que se espalham pelo país inteiro há décadas e até séculos. Conheça abaixo algumas delas: 
O Calendário de Advento
A Coroa de Advento
A árvore de Natal

O Calendário de Advento

 
A ideia do Calendário de Advento, surgiu entre 1902 e 1908 na Alemanha. 
Trata-se um calendário específico para os dias que antecedem o Natal, tendo o seu início no dia 01 de dezembro e finalizado dia 24 de dezembro. 
Calendário esse que faz parte até hoje da cultura alemã e está presente em quase todas as famílias, independentemente das suas crenças, em formas variadas. 

O primeiro Calendário de Natal em português você poderá adquirir aqui.
Diferente do Calendário de Advento, o primeiro Calendário de Natal em português acompanhará o leitor de 01 de dezembro de 2019 até 01 de janeiro de 2020.
Nele você encontrará inspirações para a sua vida em forma de mensagens curtas ilustradas por fotos ou desenhos. O primeiro Calendário de Natal em português é destinado a todos que estão dispostos a enriquecer o mês de dezembro com momentos de reflexões e direcionar a sua atenção para valores não-materiais. 

A História da Árvore de Natal
 
 
A Árvore de Natal é um costume presente na maioria das culturas ocidentais, sendo muitas vezes o centro simbólico do Natal em muitas celebrações. Mas da onde vem esse hábito?
 
Acredita-se que o costume de enfeitar a árvore de Natal seja muito antigo. Há centenas de anos os antigos povos já enfeitavam galhos de pinheiro em locais públicos e em frente de suas casas no solstício de inverno para afastar maus espíritos e afastar a fome no inverno. Na Idade Média, árvores inteiras eram decoradas para certas festividades. Porém a árvore de Natal como conhecemos é um tradição que se iniciou na Alemanha.
 
Os registros mais antigos datam do início do século 14, diários de embarcações em Bremen relatam a existência de árvores decoradas com pão de gengibre, maçãs, frutas e nozes. Também registros de padarias em Freiburg relatam o mesmo costume. A primeira árvore de Natal com velas foi decorada pela duquesa Dorothea Sibylle da cidade de Schlesien (atualmente na Polônia) em 1611. Em 1774 Goethe reforçou ainda mais o costume quando citou em seu livro "As dores do jovem Werther" como seu protagonista ficou encantado num domingo antes do Natal por um pinheiro enfeitado com velas de cera, doces e maçãs.
 
No século 18, o costume se espalhou por toda Europa, já iniciando o hábito de plantar pinheiros para a época do Natal. Em 1832, um professor de Harvard, nascido na Alemanha, montou uma árvore de Natal em sua casa e trouxe o costume para a América do Norte, que popularizou definitivamente a árvore de Natal. Thomas Edison havia acabado de inventar a luz elétrica e imediatamente os norte-americanos passaram a iluminar suas árvores de Natal com luzes. Em 1891, uma árvore de Natal foi erguida pela primeira vez na Casa Branca, a residência oficial do presidente americano. Mas foi somente em meados do século 20 que as árvores de Natal foram permitidas nas igrejas católicas. O papa João Paulo II introduziu os costumes no Vaticano em 1982, quando a primeira árvore de Natal foi erguida na Praça de São Pedro, em Roma. Dessa forma, a árvore de Natal é mais do que decoração, é um símbolo da noite sagrada e reforça o amor, acolhimento, vida e renovação.
 
 
A história das bolinhas de vidro que enfeitam a árvore de Natal
 
Uma outra origem relacionada à árvore de Natal e igualmente interessante (e alemã) é a história das primeiras árvores de Natal enfeitadas com bolas de vidro. Esse hábito nasceu na cidade de Lauscha, em Thüringer, famosa por seus sopradores de vidro, que começaram a fazer enfeites de vidro para as árvores de Natal em 1847, em um ano rigoroso de inverno com escassez de alimentos e quando todos estavam com dificuldade de enfeitar suas árvores de Natal. A solução dos enfeites de vidro não só substituiu perfeitamente frutas, nozes e doces como deu um brilho especial às árvores de natal, refletindo as luzes das velas. Um ano depois eles tiveram a brilhante ideia de soprar bolinhas coloridas para que as luzes ficassem ainda mais bonitas, dando assim início a um dos costumes mais fortes do Natal: Enfeitar as árvores de Natal com bolas de vidro coloridas. Até hoje os enfeites para árvores de Natal da cidade de Lauscha são bastante famosos em toda a Alemanha.
 
 
 
 
Por Aloá Benvenuti
 
Fontes: www.weihnachtszeit .net
www.thueringer-allgemeine.de/lauscha-der-geburtsort-der-weihnachtskugeln
 

 

A coroa do advento

A coroa do advento é outro componente muito comum quando se fala em decoração natalina na Alemanha. 
Essa bela tradição tem sua origem em Hamburgo, num orfanato, fundado em 1833 por Johann Hinrich Wichern. 
Na véspera do Natal, as crianças perguntaram a Wichern repetidamente quando finalmente era o Natal. 
Para evitar essa questão, em 1839 ele fez uma espécie de calendário de Natal. 
Uma roda de carroça com muitas luzes. Ele pegou uma roda de carro e colocou tantas velas nela desde o primeiro domingo até a véspera de Natal, ao contrário dos calendários atuais do Advento, que contam os dias de 1.º de dezembro ao Natal e, é claro, sempre 24 dias. 
A primeira coroa tinha 19 velas pequenas e quatro grandes. Todos os dias uma nova vela era acesa, uma pequena para os dias da semana, uma grande para os domingos do Advento. As crianças sempre sabiam quantos dias faltavam até o Natal. 
Com o passar dos anos a coroa foi se modificando e traz atualmente 4 velas – uma para cada domingo que antecede o natal- que enfeitam uma coroa na maioria das vezes feita com galhos de pinheiro. 
.